21 de outubro de 2014


VIII

o relâmpago que sorri
na noite escura
do teu sonho
não sou eu.
de nada adianta
compor um mapa
com as linhas esgarçadas
que restam do vestido.
a ausência é outro nome
para estar perdido.
eu sou uma nuvem
um pássaro
um desenho
que se apaga lentamente.


[da série: Vestidos Vazios, de Micheliny Verunschk]

Imagem: sem autoria definida


20 de outubro de 2014


VII

esquecer o meu nome
esquecer o meu cheiro
e todos os vestígios
da minha passagem
pelo teu sonho.
em tuas mãos
no entanto
as pérolas
e as linhas
que desfazem a trama
do vestido.
em tuas mãos
no entanto
quase a memória
de quem fui eu.


[da série: Vestidos Vazios, de Micheliny Verunschk]

Imagem: Louise Richardson




19 de outubro de 2014


VI

esses passos 
esses vestígios
que recolhes do chão
do teu sonho
fui eu que espalhei.
era pra ser um jogo
essa ausência.
era para ser mentira
esse relâmpago no horizonte.
recolhe com cuidado
os colchetes, os botões
a barra de renda tão fina
que se esvai como uma nuvem.
recolhe com cuidado esse vestido desabitado.
em outro sonho eu transito nua.


[da série: Vestidos Vazios, de Micheliny Verunschk]

Imagem: Maira Kalman


18 de outubro de 2014


V

habitar o teu nome, 
eis toda memória.
habitar o teu nome,
como o fermento habita o pão.
a costura se desfaz lentamente,
mas o vestido persiste.
sou eu que caminho lentamente
sobre a superfície do teu sonho.


[da série: Vestidos Vazios, de Micheliny Verunschk]

Imagem: Anne Ferran



17 de outubro de 2014


IV

toda tempestade é um esquecimento
neste lugar
estive eu um dia
eu e minhas mãos
minha pele
meu sorriso sobreposto
a outros sorrisos que também eram meus.
o vestido abandonado
encontrado no teu sonho
ainda me pertence.


[da série: Vestidos Vazios, de Micheliny Verunschk]

Imagem: Linda Plaisted

16 de outubro de 2014


III

esquecer o tom da minha voz
a pele contra a pele
minha mão sobre a tua
o vestido evanescente
num cabide da memória
se agita sobre o alísio
e confirma que um dia estive aqui.
pão geléia o uivo do cachorro
essa vida fora de mim e de você.



[da série: Vestidos Vazios, de Micheliny Verunschk]

Imagem: Linda Plaisted


15 de outubro de 2014


II

pérola por pérola
os botões caíram
as costuras se desfizeram.
eu não estou aqui
dentro do teu sonho
eu não estou aqui
dentro do teu peito.
a ausência é aquele cometa
que passa brilhante
na órbita de um vestido inabitado.



[da série: Vestidos Vazios, de Micheliny Verunschk]

Imagem: Diana Brennan