22 de julho de 2016

Filmes 9

Tempo que não posto o que andei vendo, mas ando sempre correndo, enfim, eis os filmes.
Tenho visto poucos esses dias, pq sempre vejo finais de semana, e tem sempre acontecido algo que me impede de deitar na cama e ligar a Netflix.
Curti muito todos, e desses o que achei mais fraquinho foi:  Amar Não Tem Preço
Todos os outros bem interessantes, vale conferir!
































Eu, hoje !







Não é mole não...




Imagem:  Entredobras

21 de julho de 2016

Dar a volta ao Mundo....








Observem bem as voltas que o mundo dá...
Coisas que se apresentam muitas vezes no seu caminho, devem ser resolvidas.
Eu tenho notado esse movimento, na verdade, ele sempre existiu, mas agora deixei toda a minha intuição ligada e estou atenta a ela.
As coisas que vão e voltam....sempre....repetidamente...alguma lição estão querendo nos dar...
Muitas reticências né?
Mas é porque realmente essa reflexão merece um mundo de reticências...

Mas as pessoas tem medo...medo de se verem...de ficarem talvez cara a cara com o seu eu mais verdadeiro e ter que desconstruir tanta coisa que, acabam empurrando as oportunidades pra longe.  Acreditando que dessa forma, conseguirão eliminar certas questões.

Não, não vão.....

Na capoeira, tem um termo que diz "dar a volta ao mundo", onde um capoeira cansado ou que tenha tomado uma queda no jogo, tem que dar duas voltas na roda toda e voltar ao pé do berimbau.
E é assim, que fiz a leitura de algo que vejo acontecendo...

Só que ao contrário da volta ao mundo da capoeira que se dá rapidamente ali, naquele momento, essa é uma volta looooonga....que dura anos....e em ciclos se apresenta....mais uma vez vai ser dada a volta ao mundo, Deus sabe quando volta ao pé do berimbau, Deus sabe quando essa questão vai ser resolvida...

E é como se, estivesse novamente baixando brumas, como em Avalon, enterrando palavras, medos, tristezas, frustrações e tudo mais....por mais tantos anos....

Longo Silêncio a partir de agora...Será?

Resolveremos nessa vida?

ps: pra mim a lição,  tenho que aprender a respeitar o tempo de cada pessoa, sempre! As vezes coisas claras pra mim, não o são para os outros. Pra uma pessoa imediatista como eu, que gosta sempre de resolver tudo logo, um desafio... Afff..../0\


Imagem: Pé do Berimbau - Pinterest

16 de julho de 2016

Piração?



Ahhh vida doida essa a nossa.....
Eu tenho pensado tanto nisso...das possibilidades que a vida nos oferece....dos recomeços, das finalizações, das lágrimas, dos sorrisos...
Do tamanho das nossas asas, dos nossos sonhos...
Dos quereres...dos desejos....
Viver é uma montanha russa, diária, a cada dia um novo acontecimento, uma nova emoção...
Eu não me caibo no peito....por que tanta intensidade meu Deus...por que?
Que força é essa que me joga pra cima, pra baixo, pra dentro e pra fora?
Terá limites o meu sonhar?
O que faço pra controlar a mente e sua infinidade de possibilidades?
Ou não faço?


8 de março de 2016

Mas o amor também é...



Ontem vi essa imagem/mensagem no facebook e não tive como não trazer pra cá.

Essa sou eu, muito prazer !

18 de fevereiro de 2016

Existe limite?





Aquele momento que vc chega talvez, no seu limite.
Estou extremamente cansada...a cabeça exaurida...meu pensamento corre demais, vai longe, volta, faz círculos....Affff!!!!!!!!!
Lidar com os monstros nossos já é difícil, com os alheios é praticamente uma tarefa Hercúlea, não tô dando conta disso não...
Tentando realinhar meus pensamentos, mudar o foco...
Vai Ana Claudia, vc consegue!!

Fica a seguinte lição:
Nós só damos o que temos dentro da gente, nada a mais e nem a menos.
Tenho que repetir isso como um mantra pra ver se consigo assimilar integralmente.





13 de janeiro de 2016

Filmes 8

Nesses últimos dias aproveitando esse tempo de férias escolares e com a vida menos corrida, pude ver mais uns filmes muito legais.
Amei todos, dessa leva o mais fraquinho foi "Coisas que perdemos pelo caminho", mas os outros todos gostei muito!
Podem conferir!




















12 de janeiro de 2016

Sobre feridas e cicatrizes....





Das coisas que aprendi nesses últimos anos, tiro algumas conclusões da vida.
Uma delas, e que escrevo aqui depois de muito refletir, é que: feridas JAMAIS cicatrizam...
Não existe nada, nem ninguém que possa fechar um ferimento que algum dia você teve na alma e no coração.
Passam-se dias, meses, anos, pessoas vão e vem, muitas vivências experimentamos mas a ferida fica lá, quietinha, sob uma casquinha frágil que sem saber, cuidadosamente mantemos, achando que tá tudo no controle, que já foi, que somos a guia dos nossos pensamentos e passos.
Não, você não é....

Um dia, aquela casquinha sai, e aí, minha amiga, verás o tamanho do rombo, não era uma feridinha, era uma cratera giga que você durante anos manteve ali adormecida sem saber...

Não estou falando de raiva, nem ódio, nem rancor, nada disso.
Estou falando mesmo da imensidão de vazio que se leva inutilmente dentro de si, e que simplesmente num belo dia começa a jorrar por todos os lados.
E você fica ali, tentando de alguma forma estancar aquilo, sem sucesso, e acaba descobrindo que pr'aquela ferida, não há cura.
Não há, simples assim.

Terá que conviver com aquilo, seja lá do jeito que for, tentando se manter forte, e todo dia ao acordar, pensar: lá vem outro dia pra me engolir....
E ser sugada pra dentro do pensamento como se fosse uma pessoa que se afoga no mar, tentando se segurar em algum lugar, tateando no meio de tanto pensamento.

Olha, viver não é bolinho não....


23 de dezembro de 2015






Não me aproximo porque, veja bem, sabe lá quem habita a tua solidão. Hesito. Recuo. Me afasto tristíssima. E te imagino em poses e sorrisos, voz grave e cabelos desgrenhados, preso nas minhas fantasias mais loucas e movimentadas. Numa delas sou um bichinho invisível, com asas, que adentra tua casa e te observa em segredo. Faço o contorno do teu corpo todo com os olhos, parada contra a parede do teu quarto, imóvel, enquanto tu te atiras na cama. Cansado. Tu olhas para o teto imaginando mil coisas, memórias, compromissos, desejos, saudades. Te fito com dor. A luz do abajur faz sombra na tua pilha de livros, que folheei um dia e quis pedir emprestado mesmo sabendo que não havia intimidade para pedidos. Por razões que desconheço, nossas aproximações foram sempre pela metade. Interrompidas. Um passo para a frente e cem para trás. Retrocessos. Descaminhos. Procuro sinais de algum amor teu. Vestígios de noites passadas. Tu não me vês, estou incógnita a te observar. Como sempre estive, olhando pelas janelas, de longe, coração apertado. Nós poderíamos ser amigos e trocar confidências. Assistiríamos a filmes, taça de vinho nas mãos, e tu me detalharias as tuas paixões e desatinos. Nós poderíamos ser amantes que bebem champanhe pela manhã aos beijos num hotel em Paris. Caminharíamos pela beira do Sena, e eu te olharia atenta, numa tentativa indisfarçável de gravar o momento e guardá-lo comigo até o fim dos meus dias. Ou poderíamos ser apenas o que somos, duas pessoas com uma ligação estranha, sutilezas e asperezas subentendidas, possibilidades de surpresas boas. Ou não. Difícil saber. Bato minhas asas em retirdas. Tu dormes, e nos teus sonhos mais secretos, não posso entrar. Embora queira. À distância, permaneço te contemplando. E me pergunto se, quem sabe um dia, na hora certa, nosso encontro pode acontecer inteiro. Porque tu és o único que habita a minha solidão.


(Caio Fernando de Abreu)



Esse li chorando....tão verdadeiro que é....


7 de dezembro de 2015

Filmes 7

Dias sem postar os filmes que vi, pode parecer que foram muitos, mas é muito menos do que eu queria.  Minha vida é tão corrida que nunca consigo ficar de bob assistindo um filme....
Tô com fé que nessas férias das crianças, eu consiga, kkkk
Gostei muito de todos, apenas vou tecer um comentário sobre o filme: "Poucas Cinzas - Salvador Dalí", eu acho que o filme tinha que ter produção européia, a temática pedia isso (eu acho), o papel do Salvador Dalí não era pra ter sido do Robert Pattinson, cara, muito fraquinha a interpretação, ficou até caricata a parada, não gostei.  Em compensação, amei saber mais sobre Federico García Lorca, personagem apaixonante.
E ontem vi "Cake" com a Jennifer Aniston, cara, sempre acostumada com ela fazendo papéis engraçadas, me surpreendi, ela é muito foda.